RESENHA: “CIDADE DAS CINZAS” DA CASSANDRA CLARE

3
Capa de “CIDADE DAS CINZAS”

SINOPSE!

Clary Fray só queria que sua vida voltasse ao normal. Mas o que é “normal” quando você é uma

Caçadora de Sombras assassina de demônios, sua mãe está em um coma magicamente induzido e você de repente descobre que criaturas como lobisomens, vampiros e fadas realmente existem? Se Clary deixasse o mundo dos Caçadores de Sombras para trás, isso significaria mais tempo com o melhor amigo, Simon, que está se tornando mais do que só isso. Mas o mundo dos Caçadores não está disposto a abrir mão de Clary — especialmente o belo e irritante Jace, que por acaso ela descobriu ser seu irmão. E a única chance de salvar a mãe dos dois parece ser encontrar o perverso ex-Caçador de Sombras Valentim, que com certeza é louco, mau… e também o pai de Clary e Jace.

Para complicar ainda mais, alguém na cidade de Nova York está matando jovens do Submundo. Será que Valentim está por trás dessas mortes? E se sim, qual é o seu objetivo? Quando o segundo dos Instrumentos Mortais, a Espada da Alma, é roubada, a aterrorizante Inquisidora chega ao Instituto para investigar — e suas suspeitas caem diretamente sobre Jace. Como Clary pode impedir os planos malignos de Valentim se Jace está disposto a trair tudo aquilo em que acredita para ajudar o pai?

Ano: 2011
Série: Os Intrumentos Mortais
Páginas: 406
ISBN: 9788501087157
Preço: 39,90

CUIDADO SPOILERS!!!

Olá Ouvintes Leitores! Para quem leu minha resenha de “CIDADE DOS OSSOS”, se não leu leia, sabe que após terminar a leitura deste livro, joguei o danado na parede de tanta raiva que tive e jurei que nunca mais queria ouvir falar dos livros da Cassandra Clare, nem a milhas de distancias e muito menos em uma galáxia muito, muito distante. Por quê? Oras, quando cheguei naquele derradeiro desfecho, que não achei a menor graça dei todos os tipos de chiliques possíveis. Sim, joguei o livro na parede, fiz macumba para a Cassandra Clere, até cheguei a quase cometer o maior de todos os sacrilégios que um amante dos livros pode fazer. Tocar fogo no bendito do livro.

Pois para mim, não era aceitável um desfecho daqueles. Como, alguém podia estragar um livro tão bom com aquele final?! Meu casal favorito tinha que acabar juntos naquela saga, custe o que custar. Por isso, não satisfeita, tive que cometer um ato desesperado, não leitores, não toquei fogo no livro. Pior. Fiz o que nenhum leitor que se prese deve fazer. Li spoiles do terceiro livro da série. Sim, Sim, Siiiiiiiiiiiiim. Confesso, eu li spoilers! Mas medidas desesperadas pedem ações desesperadas, não concordam? Ok, prometo nunca mais fazê-lo. Mas como já fiz…agora estou feliz e saltitante e sei que a Cassandra Clary não vai me torturar tanto assim. Será mesmo? Mero engano leitor. Até que tudo se acerte, ainda vamos sofrer muito. Que o diga o final de “CIDADE DAS CINZAS”.

No entanto, antes de ir para o que achei do desfecho deste segundo livro da série, me deixa falar um pouquinho do início. A narrativa da Casandra Clare neste segundo livro está bem mais dinâmica e ágil que em “CIDADE DOS OSSOS”, que era bem introdutória e tinha de explicar um pouco do mundo que a autora queria nos mostrar. Não que neste segundo não tenha, tem sim já que seu mundo recheado de magia, vampiros, lobisomens, fadas e anjos é bastante complexos e realmente merece ser bem explorado, contudo, em “CIDADE DAS CINZAS” ficamos mais focados na descoberta dos poderes de Clary, em como ela e Jace vão lidar com seus sentimentos e como ela também vai lidar com sua amizade com Simon. Para mim, nossa heroína está bem mais participativa e dinâmica neste segundo volume, já que a descoberta de suas habilidades como caçadora das sombras vão começar a ser reveladas e bastante útil a toda a trama. Jace, meu personagem favorito, continua irresistível, apaixonante e mais sarcástico que nunca, deixando a trama tão envolvente quanto o próprio personagem.

Agora, o Simon, que eu apreciava bastante no primeiro livro da saga, perdeu seu encanto para mim. A escritora para dar mais destaque ao personagem ou até mesmo para ele ser um rival a altura de Jace, transformou o Simon em um vampiro. Para mim a Casandra Clare forçou um pouco a barra na história quando transformou este personagem. E foçou mais ainda quando o tornou o único vampiro da trama que pode andar em plena luz do dia. Só faltou ela também afirmar que ele brilhava na luz do sol. Esta foi a única parte da história que realmente me desagradou, pois, a narrativa de “CIDADE DAS CINZAS” e o próprio enredo está mais fantástico e cativante do que seu antecessor.

Uma dupla que me cativou bastante e me rendeu boas gargalhadas foi o casal Alec e Magnus. Gosto da sutileza que a escritora utiliza para descrever a relação deles dois e não vejo a hora do Alec cair na real e assumir que está apaixonado pelo Magnus.

Também neste livro, descobrirmos um pouco mais sobre o duvidoso passado do nosso arrogante herói Jace, onde a atora fez questão de plantar um pouco mais a semente da dúvida em relação ao sangue que realmente corre nas veias do Jace, nós deixando mais esperançosas por um desfecho que promete ser alucinante.

Falando em desfecho a Cassandra Clare tem a tendência masoquista de maltratar seus leitores. Em “CIDADES DOS OSSOS”, como já falei no início desta resenha, ela realmente apelou no final do livro. Se realmente a escritora, no primeiro livro, não queria que seu casal principal ficasse junto, ela poderia ter usado outros motivos e não o pretexto que foi usado o que me decepcionou completamente.

Mas em “CIDADE DAS CINZAS“, é claro que ela não apela para nada mais polêmico, no entanto, quando pensei que finalmente meu casal favorito ia se acertar… a Cassandra Clare novamente joga um belo balde de água nas minhas expectativas. Ok, desta vez confesso que não tive ímpetos de jogar o livro na pare nem tocar fogo na criatura, a vontade que tive verdadeiramente foi de, cadê a continuação? Quero urgentemente “CIDADE DE VIDRO”!

É leitores não vejo a hora do mês de setembro chegar e podermos degustar um pouco mais desta incrível série onde a autora evolui sua escrita a cada livro. Só espero que no terceiro volume ela não invente de puxar novamente nosso tapeta, pois se isto acontecer, ai sim vocês vão ver uma leitura cometendo um ato vandalismo com uma série chamada, “INSTRUMENTOS MORTAIS”.

NOTA:

Avaliação: FODA +

Trechos que a Serena adorou!

“…Valentin foi um foi um dos homens mais arrogantes e desrespeitosos que eu já conheci. Suponho que tenha criado você para ser exatamente como ele.

– Sim. – disse Jace, sem conseguir se conter -, fui treinado para ser um gênio do mal desde menino. Arrancar asas de moscas, envenenar o suprimento de água da terra; já fazia tudo isso no jardim de infância. Acho que todos temos muita sorte por o meu pai ter forjado a própria morte antes de chegar aos estupros e saques que fariam parte da minha educação, ou ninguém estaria a salvo.”

Pag. 81

“- Tudo bem. – Ele tocou o rosto delagentilmente com as costas da mão. – Você às vezes desaparece completamente na sua própria cabeça. Gostaria de poder segui-la.

Você segue, ela queria dizer. Você vive na minha cabeça o tempo todo.”

Pag. 321

  • Eu amei Cidade das Cinzas! Como tem bem menos explicação que Cidade dos Ossos, ficou mais movimentado e mais legal de ler. E tem o Jace né? Já vale a leitura do livro todinhooooo! kkkkkkkkk

    Adorei a resenha, Serena!

    • Obrigada novamente pelo comentário Monique!
      Mas como assim tem o Jace, pode tirar o olho dele, pois ele já é meu! Risos
      Mega cheiros!

  • Agora que vi! JACE é SEU? Como assim? ¬¬

    Entra na fila tá? É MEU! XD